A Maldição de Canaã / The Canaan’s Curse

O resumé

The resumé

Cão não socorreu o seu pai Noé de seu estado de embriaguez quando ele esteve inconsciente, intoxicado e nu. Cão havia também zombado de seu pai perante os irmãos. Os irmãos de Noé certamente se surpreenderam da atitude suspeita de Cão, porquanto foram amorosos e respeitosos com Noé. Foram socorrê-lo e cobri-lo, tomando o cuidado de não olhar para a sua nudez (Gn 9:18-27).


Ham didn’t help his father Noah on the inebriety when he was fainted, intoxicated and nude. Ham had mocked his father before his brothers. The brothers of Ham certainly were surprised by the bad action of Ham, since they were very compassionate and respectful to Noah. They went in help to their father, they covered him, avoiding to see his nakedness (Gn 9:18-27).

Em resposta ao desprezo, Noé amaldiçoou o caçula de Cão, Canaã, dizendo que os descendentes de Canaã seriam servos dos descendentes dos irmãos de Cão, Sem e Jafé. E ademais, que os filhos de Jafé se expandiriam pela Terra e que habitariam nas tendas de Sem.


In response to the scorn, Noah cursed the youngest of Ham, Canaan, saying to him that the Canaan’s descendants would be servants of the descendants of the brothers of Ham, Shem and Japhet. Moreover, the Japhet’s sons would spread upon the Earth and they would live under the tents of Shem.

Os desdobramentos factuais


The subsequent facts

A sorte de Canaã acarretou a servidão e, eventualmente, a destruição dos cananeus nos séculos seguintes. Isso se deu principalmente por mãos israelitas, gregas e romanas. Por mãos jafetitas e semíticas, tal como predito.


The fortune of Canaan had as consequence the serfdom and eventually the destruction of the Canaanites in the following centuries. That happened mainly by the hands of the Greeks, Romans and Israelites. By Japhetic and Semitic hands, such as predicted.

Outros povos, também filhos de Cão, sofreram. A condenação de Noé foi interpretada como uma permissão para a escravização dos negros, enquanto filhos de Cão. Os negros sempre foram identificados como descendentes de Cuxe, irmão de Canaã. Eles foram conhecidos tanto pela história secular como pela história sacra como os cuxitas, os núbios, os etíopes, os africanos, etc.


Other people, also Hamites, suffered. The condemnation of Noah was interpreted as a permission for the slavery of the Negroes, because they are Ham’s sons. The Negroes were known by the sacred and secular history as Cushites, Nubians, Ethiopians, Africans, etc.

Muitos, entre os abolicionistas e os afrofílicos em geral, apontaram corretamente a contradição dessa suposta permissão. A condenação recaiu especificamente sobre Canaã e não sobre Cuxe. Ademais, a suposta permissão também implica que os sineus deveriam ser escravizados. Os sineus são a raça mongolóide e foram gerados pelo próprio Canaã (Gn 10:17). É da palavra “sineu” donde vem o adjetivo pátrio “sino” relativo aos asiáticos.


Many amongst the abolitionists and the Afrophilics pointed out the contradiction of that alleged permission. The condemnation fell specifically upon Canaan, not upon Cush. Additionally, the alleged permission also implies in the slavery of the Sinites (Gn 10:17). The Sinites are the Mongolic race. They were generated by Canaan himself.

A escravidão dos sineus nunca foi praticada pelos ocidentais e nunca foi reclamada como um direito teológico. A própria parcialidade da interpretação do ato de Noé, praticada exclusivamente contra os negros e não contra todos os filhos de Cão, mostra a desonestidade daqueles que a defendem.


The slavery of the Sinites never was practiced by the Westerns and it never was reclaimed as a theological right. This partiality of the interpretation of the Noah’s act, which is exclusively imposed against the Negroes and not against the rest of the Ham’s sons, shows how dishonesties are those who defend it.

No caso específico do Cristianismo, existiu uma larga tradição de apoio à escravidão. Evidentemente, a tradição não é exclusiva de nossa Religião.


In the specific case of the Christianity, there was a large tradition for the support of the slavery. Obviously, the tradition isn’t exclusive of our Religion.

A realidade jurídica



The judicatory reality

Mas, ainda que a interpretação esteja errada, existem certos aspectos que merecem consideração. Na Antiguidade, quando um pai queria transmitir a herança ao seu filho, geralmente, só tinha a opção de fazê-lo em meio oral. A escrita, embora existisse desde Noé, não era um meio viável e disponível para o vulgar. Mesmo nos nossos dias, séculos depois de esforços estatais ostensivos pela alfabetização em larga escala, inclusive com a imposição de penas, há pessoas que simplesmente não sabem ler e escrever.


Even if the interpretation is wrong, there are some aspects which deserve consideration. In ancient times, when a father wanted to transmit the heritage to his son, generally, he had the option to do it solely by via oral. The writing, although it was existent since Noah, wasn’t a viable or a disposable mean for the common people. Nowadays, centuries afterward of state efforts towards the alphabetization in large scale — which includes threats of legal penalty — there are people who simply doesn’t know read and write.

Os exemplos bíblicos de transmissão oral de direito, são as bençãos transmitidas pelos Patriarcas Abraão, Isaque e Jacó a seus respectivos filhos. Eles espelhavam o costume dos sumérios[1], que certamente foi originado do próprio Noé. Os sumérios haviam se estabelecido na Mesopotâmia, e também Abraão.


The biblical examples of oral legacy of judicatory right, are the blessings transmitted by the Patriarchs Abraham, Isaac and Jacob to their children, respectively. They mirrored the custom of the Sumerians[1], which was certainly originated from Noah. The Sumerians had settled themselves in Mesopotamia, and also Abraham.

Conclusivamente, Noé, na condição indiscutível de patriarca de todo o gênero humano após o dilúvio, legou de jure a Jafé e a Sem a herança da terra, excluindo Cão de sua porção. Porque ele não citou Cão. A mera omissão bastou para privá-lo de direitos. Como exemplo, a simples e mera omissão de Isaque, fez Esaú perder toda a herança que lhe era de direito por primogenitura (Gn 27:33-37). Porque a transmissão oral era um ato jurídico de facto e de jure, Isaque não podia desdizer o que foi transmitido oralmente a Jacó.


Conclusively, Noah, in the indisputable position of Patriarch of the post-dilluvian mankind, legated “de jure” to Japhet and Shem the whole Earth. With the exclusion of Ham. The mere omission of Noah was enough to deprive Ham of rights of heritage. For example, the mere and simple omission of Isaac had done Esau to lose all heritage which belonged of him by the firstborn’s right (Gn 27:33-37). Inasmuch as the oral transmission was a judicatory act “de facto” and “de jure”, Isaac couldn’t unsay what he had said for Jacob.

Pelos dizeres de Noé, Jafé dominaria a terra sob os auspícios de Sem. Uma parte dessa herança já é realidade entre nós. Deus Pai deu a Cristo ressurreto, que é da família de Sem, o governo sobre os céus e a terra. Os cristãos estão efetivamente nas tendas de Sem. Embora o sentido do ato de Noé é fundamentalmente racial: ele afeta as famílias eleitas entre os jafetitas e os semitas.


By the words of Noah, Japhet will dominate the earth under the auspices of Shem. Part of that heritage is already a reality among us. God, the Father, has given to the Resurrected Son, who belongs to Shem’s family, the whole government of the heavens and the earth. The Christians are effectively living under the tents of Shem. Although the meaning of the Noah’s act is fundamentally racial: it affects the elected families amongst Japhetics and Semitics.

Portanto, a primeira coisa a transparecer, é que Noé não amaldiçoou Canaã ou Cão num sentido místico. A condenação trata-se de um problema estrita e essencialmente jurídico. Essa questão legal não é privilégio de Canaã ou de Cão. Mas, dentro da estrutura de transmissão bíblica de herança, afeta todo e qualquer homem que não é um primogênito habilitado.


Thence, the first thing to be clarified, is that Noah didn’t curse Canaan or Ham in a mystical sense. His condemnation is a problem strictly and essentially judicatory. This legal question isn’t a privilege of Canaan or Ham. But, inside of the structure of biblical transmission of heritage, it affects all and each man who isn’t a habilitated firstborn.

O primogênito, tendo o direito de posse exclusiva da riqueza, recebe, por outro lado, uma responsabilidade. Ele está obrigado a sustentar os irmãos que não possuem herança. O sustento é uma relação incondicional de clientela. O primogênito, titular da terra herdada deve cuidar de seus irmãos e os irmãos devem servi-lo na terra da família. Essa é a servidão da qual a Bíblia legisla. É um vínculo benigno, não-violento, de clientela.


The firstborn, having the right to possess exclusively the wealth, receives, on the other hand, a responsibility. He’s obliged to take care of his brothers who doesn’t possess heritage. That support is an unconditional relation of patronage. The firstborn who titles the inherited land must take care of his brothers and his brothers must serve him. That’s the serfdom regulated by the Bible. It’s a benign link, non-violent, of patronage.

A Bíblia condena a escravidão, enquanto um crime que envolve sequestro, trabalho alienante e exaustivo, e violência gratuita contra o escravo. Mas ela estatui um regime de servidão. Pela qual, através da própria consanguinidade dos envolvidos e da existência de um afeto natural, presume obviamente uma relação de amor parental e racial entre o titular dos bens e os seus irmãos. É a benignidade familiar intrínseca do regime de servidão que o difere da malignidade da escravidão.


The Bible condemns the slavery as a crime whence is involved the kidnapping, the alienating and the exhaustive work, and the unexplainable violence against the slave. But the Bible regulates a serfdom regime. Which, by the existence of kinship and of natural affection, presumes evidently a relation of paternal and racial love between who is handing the goods and his dependent brothers. It’s that intrinsic benignity that differs the serfdom’s regime from the malignity of the slavery.

São essas as consequências legais do ato de Noé sobre Cão, no contexto do antigo direito de herança. Sem e Jafé receberam a terra[2]. Mas também a responsabilidade de cuidar dos filhos de Cão com misericórdia familiar.


These are the legal consequences of the Noah’s act against Ham, under the context of the ancient right of heritage. Shem and Japhet received the earth[2]. But also the responsibility to take care of the descendants of Ham with familiar mercy.

Noé condenou Cão porque estava com raiva. Contudo, iracundo ou não, a condenação é meramente redundante se ele não tinha a disposição de passar a porção de herança que cabia a Cão. Pela tradição, pode-se verificar claramente que Noé já possuía uma má disposição para com Cão[3]. Cão odiava o seu próprio pai.


Noah condemned Ham because he was very furious. Nevertheless, with wrath or not, his condemnation is simply redundant if he wasn’t disposed to legate the earth’s portion which fell to Ham. The Tradition states that Noah had a bad disposal[3] to Ham even before it. Ham also hated his own father.

Notas


Notes

  1. A História de Israel no Antigo Testamento de Samuel J. Schultz.

  2. A transmissão de herança por Noé é o verdadeiro motivo pelo qual o Evangelho de Cristo veio ao Império Romano primeiro. Os romanos são de linhagem essencialmente jafetita.

    The heritage transmission by Noah is the true reason by the what the Christ’s Gospel came firstly to Roman Empire. The Romans are of Japhetic lineage.

    O Evangelho não prosperou na Índia contemporânea aos Apóstolos ou no Egito, ambos de linhagem camita. O malogro ocorreu a despeito do esmero de São Tadeu, São Tomé e São Marcos, testemunhas oculares do Senhor e que eram poderosos em sinais e maravilhas.

    The Gospel wasn’t well succeeded in India and Egypt contemporary to the Apostles. Both the countries are of Hamitic lineage. The failure occurs in spite of the efforts St. Thomas and St. Mark who’re ocular witnesses of our Lord and they were powerful in miracles.

    Outra prova dos planos do Senhor Deus à família de Jafé, que revela a preferência de Cristo pela Europa, é a referência apocalíptica a uma das tribos jafetitas: Magogue de Gogue (Gn 10:2, Ap 20:8). A tribo de Magogue está predestinada a preencher a terra como a areia do mar. Gogue é mencionada pelo profeta Ezequiel (Ez 38) como uma representação do rei Giges da Lídia, da família dos gregos, implicando que Magogue é o próprio reino da Lídia.

    Another proof of the plans of the Lord to the family of Japhet, which unveils His preference to Europe, is the apocalyptic reference to the one amongst of Japhetic tribes: Magog of Gog (Gn 10:2, Rv 20:8). The Magog’s tribe is predestinated to fill the Earth like the sands of the ocean. Gog is quoted by Ezekiel (Ez 38) as a symbol of the king Gyges of Lydia who’s from the Greeks, implying that Magog is Lydia itself.

    O historiador Flávio Josefo identifica Magogue, citada também por Ezequiel, como o povo da Scítia, habitantes da Ásia Central, da Ucrânia e do sudoeste da Rússia, abaixo dos Urais. Assim fundamento jafetita do simbolismo de São João é desvelado, confirmando o costume do Senhor Soberano em eleger uns e rejeitar outros.

    Magog is identified by Flavius Josephus as the people of Scythia, inhabitants of the Central Asia, of Ukraine and of the South’s Urais. Thus, the Japhetic basis of the symbolism of St. John is unveiled, which also confirms the custom of the Lord of elect ones and of reject others.

  3. Sobre o provável motivo da ira de Noé contra Cão:

    On the probable cause of the wrath of Noah against Ham:

    No original hebraico, parte do nome Naamá, irmã de Tubalcaim, da linhagem proibida de Caim, consta como infixo de Canaã. Enquanto que na Septuaginta, parte do nome de Cão consta como prefixo do nome de Canaã. As transliterações são evidencias leves de que Canaã significa uma combinação dos nomes Cão e Naamá, sendo a última portanto, uma das prováveis esposas que sobreviveram ao dilúvio. Há o fato histórico de que uma das cidades cananéias conquistadas pela tribo de Judá se chamava “Naamá” (Js 15:41). A nomeação pode ter sido um memorial à mulher da linhagem de Caim como ancestral dos cananeus.

    In the Hebraic Bible, part of the name of Naamah, who is sister of Tubal-Cain, from the forbidden lineage of Cain, is the prefix of Canaan. In the Greek Septuagint, Part of the Ham’s name is the prefix of Canaan. These transliterations are tiny evidences of the meaning of Canaan as a combination of the names of Ham and Naamah. Namaah could have been one amongst the wives who had survived to the deluge. It’s very likely. There’s also the historical fact of that one Canaanite city conquered by Israel was named as Naamah (Js 15:41). The nomination could have been a kind of memorial to the woman of the Cain’s lineage who was the female ancestor of the Canaanites.

    Há tradições religiosas que afirmam ser Naamá a esposa de Noé, entretanto.

    There are religious traditions that affirm to be Naamah the wife of Noah, however.

    Contra isso, deve-se considerar o seguinte: Noé foi escolhido pelo Senhor Deus por ser justo e perfeito racialmente em sua genealogia setetita. Não é razoável crer que o Senhor, que escolheu Noé porque pais dele não se amalgamaram com os filhos de Caim, toleraria que Noé tomasse por esposa Naamá. Devemos nos lembrar que o Senhor ordenou aos hebreus que se circuncidassem. Quando Moisés, o líder do povo, negligenciou esse dever crítico, quase foi morto por Deus (Ex 4:24-25). Deus é rigoroso nos compromissos, especialmente em relação a líderes nacionais como Moisés e Noé.

    Against this, should be considered the following: Noah was chosen by the Lord because he was just and racially perfect in his generations, from Seth. It isn’t reasonable to believe that the Lord, who chose Noah because his fathers didn’t amalgamated themselves with Cainites, would tolerate that Noah himself had taken by wife Noah. Moses, because he simply omitted himself on the critical duty to circumcise his sons, almost was killed by God (Ex 4:24-25). God is rigorous about the commitments, specially in relation to the national leaders like Noah and Moses.

    É bastante plausível a interpretação do teólogo batista John Gill, em sua Exposição da Bíblia, que Naamá tenha sido a esposa de Cão e não de Noé. Dessa feita, o motivo da ira de Noé se revela a nós: a atitude desonrosa de Cão catalisou o extravasar de uma mágoa por decepção, incrustada no coração de seu pai. Mágoa essa compartilhada por Isaque e Rebeca em relação a Esaú e às suas esposas hititas (Gn 26:34-35). Pois de Naamá, a linhagem proibida de Caim sobreviveria. Já que Cão era o seu filho caçula, Noé alvejou o filho caçula de Cão, Canaã. Como uma espécie de simbolismo.

    It’s very plausible the interpretation of the Baptist theologist John Grill, in his exposition of the Bible, about Naamah to be the wife of Ham. Thence, the motif of the wrath of Noah is unveiled. The scorn of Ham was the apogee of a tense relationship between son and father. Ham was a deception to Noah. The Noah’s sorrow was shared by Isaac and Rebecca in relation of the feelings about their son Esau. Esau also had chosen women amongst a bad lineage (Gn 26:34-35). Noah saw that from Naamah the forbidden lineage of Cain would survive. Since Ham was the youngest, Noah condemned the Ham’s youngest, Canaan. As a symbolism.

    Um outro motivo da mágoa de Noé contra Cão, é que Cão era um praticante de magia, algo que Deus abomina. Cão é, segundo a Tradição, o verdadeiro fundador do Zoroastrismo.

    Another reason to the wrath of Noah, is because Ham was a magus. God hates it. Ham is, according to the Tradition, the true founder of the Zoroastrianism.

Anúncios

Os comentários estão desativados.